maio 272012
 
O tempo passa...

Já se passou um bom tempo desde que escrevi aqui no blog. Esses últimos dias têm sido cada vez mais corridos e cheios de atividades e tarefas. Além dos compromissos com o IFG e com o PIBID, tenho dedicado boa parte de meu tempo ao doutorado em Educação da UFMS, seja lendo ou seja viajando de Jataí a Campo Grande.

Durante este período de silêncio, realizamos ensaios do Ciência em Cena, aplicamos a proba da OBA, o Vagner ministrou duas aulas sobre termodinâmica e realizamos uma mega monitoria com cerca de 80 alunos. Realmente foram ações bastante positivas e que mostram que estamos vencendo nossas dificuldades para realizar ações concretas junto aos alunos e à escola. Tivemos algumas dificuldades para realizar estas atividades: falta de comunicação entre os bolsistas, ausência em alguns compromissos (por parte dos bolsistas) e o excesso de alunos na monitoria, mas mesmo com esses empecilhos, nós conseguimos realizá-las. E, em virtude disso, quero parabenizar meus bolsistas, o professor supervisor e a direção da escola pelo apoio e dedicação, que foram fundamentais para que estas ações fossem concretizadas. E que continuemos assim!!!

Positivo

Positivo operandis

Infelizmente, apesar deste progresso significante no nosso PIBID, alguns problemas que já descrevi anteriormente insistem em continuar a aparecer e outros, que não havia identificado antes, se tornaram visíveis aos meus olhos. Ficou curioso?

De olhos bem fechados

De olhos bem fechados

Alguns desses problemas:

  • Falta de compromisso, interesse e pró-atividade: os seres humanos em sua maioria e os pibidianos em sua quase totalidade, têm a tendência em se esconder atrás de qualquer imprevisto para se isentar dos compromissos e das tarefas. Alguns desses empecilhos: não li o e-mail, me confundi com as datas, ninguém me avisou, pensei que não precisaria comparecer, é muita coisa para eu fazer, entre outros pontos;
  • Falta de harmonia e de sinergia: os bolsistas ainda não perceberam que eles são parte de uma equipe e que é necessário que todos trabalhem juntos para alcançarmos nossos objetivos.
  • Falta de estudo: nenhum dos bolsistas ainda se atentou para o fato de que é preciso estudar e se dedicar muito para aprender um pouco de Física e conseguir ter sucesso no curso e nas atividades do PIBID.
Qual é a solução?
Bem, acho que a principal arma para eliminar estes problemas é a reforma íntima dos bolsistas. Cada um deles deve se perguntar sobre o que desejam para o futuro e sobre o compromisso assumido com o PIBID e, assim, nortear suas ações. Cabe a eles perceberem que já fazem parte do mundo dos adultos e que serão cobrados como tais.
Além disso, nesse mês eu decidi inaugurar a avaliação dos bolsistas. Todos os bolsistas serão avaliados por todas atividades que devem realizar, seja na escola, no IFG ou por via eletrônica. A toda atividade será atribuída uma nota de zero a dez, será calculada uma média das notas obtidas e aqueles que não alcançarem a média 7,0 serão desligados do projeto. Ainda não fechamos o mês, mas a situação de diversos bolsistas é, no mínimo, grave.
Bem, pessoas. Vou indo. Até mais.
Ah! Para quem ainda não viu, novas fotos de nossas atividades:

 

 

Desculpe, o formulário de comentários está fechado no momento.